Clérigos Yorùbá

.

O “Sagrado” e o Duvidoso na Etnografia [1]

 

1 – Os Clérigos Nativos Yorùbá

Prólogo

A religião tradicional yorùbá, assim como todas as religiões dela descendentes na diáspora, não se enquadra nos atuais conceitos teológicos importados e impostos pelos colonizadores e/ou pesquisadores estrangeiros. Estes, por sua vez, não são cuidadosos com os conceitos tradicionais, principalmente os escritores yorùbá aculturados e não tradicionalistas quanto à religião.

A yorùbá, portanto é a matriz da religião dos Òrìsà, que a partir de agora chamaremos Òrìsàísmo.

Click e leiam o texto atualizado. [pdf]



Aulo Barretti Filho  
[2]

 

[1] O título é o tema de uma aula curricular do curso da Funaculty – “Cultura e Teologia Yorùbá Comparada”, por nós ministrado desde 1979. Mais dados em http://funaculty.blogspot.com.

[2] Escritor, pesquisador e professor da religião tradicional yorùbá e da afro-brasileira. Bàbálórìsà do candomblé Kétu (Bahia) reafricanizado Ilé Àse Ode Kitálesi (em São Paulo, Brasil) e Asojú Oba Alákétu (em Kétu no Benin). Odontólogo e presidente da Funaculty – “Fundação de Apoio ao Culto e Tradição Yorùbá no Brasil.” Mais detalhes em http://pt.wikipedia.org/wiki/Aulo_Barretti_Filho.

.

– Templo de Obalúàyé, Ilé-Ifè – 

Leiam o mais recente texto sobre

Òrìsàísmo:

Um Novo Conceito de Identidade Religiosa Globalizada


Òrìsàismo    >   inicio